Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

PDV News - Ponto de Venda com Ponto de Vista | 27 Sep, 2020

Scroll to top

Top

0

Vendas dos supermercados crescem 4,20% em 2010 - PDV News






As vendas acumuladas do setor supermercadista em 2010 cresceram 4,20%, em relação a 2009, de acordo com o Índice Nacional de Vendas, divulgado mensalmente pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). No mês de dezembro, a alta real foi de 3,16%, em relação ao mesmo mês do ano anterior, e de 33,86%, se comparada a novembro de 2010. Esses índices já foram deflacionados pelo IPCA do IBGE.


Em valores nominais, o Índice de Vendas da Abras apresentou crescimento acumulado de 9,46% em 2010, na comparação com 2009. No mês de dezembro, a variação nominal foi de 9,25%, em comparação ao mesmo mês do ano anterior, e de 34,71%, em relação ao mês anterior. “O aumento de 33,86% em relação às vendas do mês anterior já era esperado, afinal, dezembro conta com as vendas para as festas de final de ano. O destaque fica por conta do acumulado do ano, de 4,20%, que integra uma série de quatro anos consecutivos de resultados positivos”, avalia o presidente da Abras, Sussumu Honda.


Em 2010, o AbrasMercado, cesta de 35 produtos de largo consumo, analisada pela GfK, apresentou crescimento acumulado de 17,4%. Em comparação, o IPCA variou, no mesmo período, 5,91%, sendo que o IPCA Alimentos foi de 10,39%. Em dezembro, o AbrasMercado apresentou alta de 2,19%, em relação ao mês anterior. Em valores nominais, a cesta AbrasMercado passou de R$ 261,51, em dezembro de 2009, para R$ 307,04, em dezembro último. 


No acumulado do ano de 2010, os produtos com as maiores altas foram: feijão, com 51,6%; papel higiênico, com 43,3%, carne traseiro, com 34,9%; queijo mussarela, com 34,3%; queijo prato, com 32,8%. Já os produtos com as maiores quedas acumuladas em 2010 foram: cebola, com -47,1%; batata, com -19%; tomate, com -13,6%.


Em dezembro de 2010, os produtos com as maiores altas foram: papel higiênico, com 24,34%, tomate, com 12,31%, frango congelado, com 8,83% e açúcar, com 8,28%. Já as maiores quedas foram batata, com -13,20%, feijão, com -7,92%, farinha de mandioca, com -3,08% e creme dental, com -2,55%.

Comentar