Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

PDV News - Ponto de Venda com Ponto de Vista | 24 Nov, 2017

Scroll to top

Top

0

Quando o PDV vai até o consumidor - Ana Del Mar - PDV News

Quando o PDV vai até o consumidor – Ana Del Mar

Temos o hábito de pensar que ponto de venda é algo estático, e que sempre o consumidor vai até ele.  Mas uma prova de que o PDV pode ir até o consumidor abre os olhos, e nos faz repensar este conceito e entender o ponto de venda de uma forma diferente.

Muitas tendências relacionadas ao trade para 2013 falam sobre interatividade e engajamento do consumidor. É automático que, ao falar em interatividade, pensemos em uma promotora no ponto de venda fazendo abordagens ou em tecnologias que tornem a experiência de compra mais moderna. Interatividade costuma ser associada a tecnologia.

Agora parem por um segundo para responder às seguintes perguntas:

1) Você já pensou em ponto de venda como algo móvel, que pode ir até o consumidor?

2) Você já pensou em interatividade como uma boa relação entre vendedor e comprador (e não necessariamente em promoções no ponto de venda ou em tecnologia)?

 Recentemente, indo para uma reunião com um cliente, passei na porta de uma escola e vi diversas pessoas, entre crianças e adultos, ao redor de um vendedor. Fiquei curiosa para saber o que eles estavam olhando, e parei o carro para observar.

Foi aí que conheci Moru, um vendedor que leva seus produtos até seus compradores em um carrinho de supermercado. Ele começa seu dia com suco, café e pão, e estaciona seu carrinho em frente a uma das maiores multinacionais do setor alimentício do mundo. Saindo de lá, ele troca o café da manhã por guloseimas, e aporta em frente a uma escola, onde faz a festa das crianças. Por fim, a tarde ele está em frente a uma grande loja de móveis com chás enlatados, água e sucos.

Moru é um dos exemplos de que está na hora de repensar qual é o nosso conceito de ponto de venda. Em um novo mundo sem fronteiras entre ações na internet, na mídia ou no trade, é o momento de também extrapolar as fronteiras pré-estabelecidas e colocar o consumidor a frente de tudo. É entender que mais importante é o contato do consumidor com o PDV, mesmo que isso signifique ir até onde ele está para efetivar a venda. Sim! O ponto de venda pode e já está indo até o consumidor, e de novas formas além do porta-a-porta que conhecemos faz tempo. E esta é apenas uma prova de que este é o novo cenário do nosso mercado, e que muitas oportunidades surgirão se quebrarmos paradigmas e conceitos antigos.

 

Comentar