Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

PDV News - Ponto de Venda com Ponto de Vista | 12 Dec, 2018

Scroll to top

Top

0

PDV'S virtuais permitem fazer compras pelo celular, de qualquer lugar - PDV News

PDV’S virtuais permitem fazer compras pelo celular, de qualquer lugar

No comércio, estão surgindo novidades que facilitam a vida. Em parte, porque o Brasil já tem, hoje, 59 milhões de celulares com acesso à internet.

No setor de hortifruti, os clientes têm quase sempre o mesmo método de escolha dos produtos. “Vai no método tradicional”, conta uma mulher.

Mas a experiência da dona de casa ganhou um aliado tecnológico em um supermercado. O cliente pode fazer a seleção usando os olhos, as mãos, e o telefone celular. Tudo por conta de uma etiqueta, que funciona como um código de barras.

“Ele aproxima o leitor, que já faz automaticamente a captura de todas as informações do processo produtivo, o caminho que o produto fez para chegar até aqui”, explica o diretor de operações Paulo Drago.

No comércio, estão surgindo novidades que facilitam a vida. Em parte, porque o Brasil já tem, hoje, 59 milhões de celulares com acesso à internet.

Com acesso à internet e um programa que lê o código, surgem na tela do telefone até fotos de onde e como o produto foi embalado. “Faz diferença para saber como é que ela é embalada, como é que ela é feita até chegar aqui”, diz uma mulher.

E essa não é a única tecnologia que pode mudar o jeito de comprar. A própria gôndola dos produtos anda meio diferente. Agora existem gôndolas virtuais, nas quais os produtos só aparecem em foto. Para comprar, a pessoa utiliza o telefone celular, faz a leitura do código, e o produto vai direto para a casa do cliente. Neste caso, a gôndola foi colocada em um shopping center. Mas poderia estar em uma estação de metrô, no aeroporto ou em qualquer lugar.

Aliás, o sistema já existe em estações de metrô em Seul, na Coreia do Sul, onde quem espera o trem pode selecionar produtos na parede da estação. O pagamento é feito com o cartão de crédito e os coreanos podem viajar enquanto o produto está indo para a casa deles.

“São locais que as pessoas estão com muita pressa. Você tem um espaço que o custo não é tão alto assim, é de alta visibilidade, e hoje em torno de 10 até 15% da população já está preparada e com instrumentos para comprar dessa forma”, destaca Daniel Plá, professor de marketing e varejo da FGV.

No Rio, a gôndola está em testes em um shopping center. A aposta é que a comodidade, de um supermercado no meio do caminho, seduza os consumidores. “É mais prático, é mais rápido do que ir à loja nesse calor, pegar engarrafamento”, afirma uma mulher.

Comentar