Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

PDV News - Ponto de Venda com Ponto de Vista | 23 Oct, 2017

Scroll to top

Top

Consultoria em Merchandising - PDV News

Consultoria em Trade Marketing e Merchandising no Ponto de Venda (i-PDV Specialist)

 Com 11 anos no mercado e profissionais com mais de 15 anos de experiência a equipe da MDM Brasil segue como uma das poucos agências no Mundo com foco 360º no Ponto de Venda, sendo ele ativo ou passivo (com ou sem ações promocionais). Quando falamos em BTL temos que lembrar que 85% das decisões de compra são feitas no PDV e é onde estão se formando as grandes linhas de batalha. Onde antes tínhamos as divisões no mercado publicitário ATL (Above the line)e BTL Below the line hoje temos uma unificação da comunicação o que chamamos de TTL (True the line), isso indica que a mídia nos dias de hoje se preocupa muito mais com a comunicação no PDV do que antigamente, fazendo com que o consumidor se atraia somente pelas campanhas inteligentes e sacadas no ato da compra.

Criação de Materiais de Merchandising Inteligentes (i-PDV)

A MDM Brasil possui uma equipe com profissionais especializados no desenvolvimento, pré-produção (protótipos e mock-ups) e no acompanhamento da produção de materiais de merchandising para Pontos de Venda. Aqui na agência um projeto não começa com a necessidade do cliente e sim do Shopper, criando um fluxo de informações muito mais dinâmico e inteligente. Aliando uma experiência de 15 anos no mercado promocional e a união do desenvolvimento e a produção dos materiais juntamente com a gestão destes processos, nossos clientes contam com economia, cumprimento de prazos, qualidade, e resultados. É 100% no comprometimento de uma ação de sucesso. Foto ao lado: Relógio de parede Promocional, desenvolvido para Bunge Alimentos em material reciclado.
 

Exemplos e descrições de materiais para Merchandising no PDV

Balcão de Degustação ou Balcão Expositor

Sua origem é indeterminada, mas o seu uso no Brasil começou na década de 90 e desde lá os balcões promocionais tem tido papel fundamental na demonstração e degustação de diversos produtos. O mais comum é encontrarmos modelos desmontáveis em madeira ou plástica. Os modelos de madeira geralmente são utilizados para degustações mais sofisticadas pois eles possuem um requinte maior, suportam mais peso e calor, já os balcões plásticos geralmente são utilizados para venda de serviços ou produtos que não exijam peso sobre ele ou calor.

Exemplos usuais:

Balcões em madeira

Degustações de bebidas que utilizem refresqueiras;

Degustação de café, chás, carnes e derivados, sopas e produtos que utilizem fornos, fogareiros e cafeteiras que produzam calor e podem deformar os balcões plásticos.

O uso da madeira permite personalizar 100% o projeto mesmo para uma única peça.

Podem ser fixos ou 100% desmontáveis.

Balcões em plásticos

Degustação de sucos, produtos lácteos, patês, doces, bolachas, pães e etc

Demonstração de produtos de higiene e beleza, produtos de limpeza, eletroeletrônicos, venda de serviços, troca de brindes, preenchimento de cupons, divulgações em geral.

A utilização do plástico modelado (PSAI) no processo de Vacuum Forming permite ter um balcão resistente, desmontável e muito leve, privilegiando muito o transporte e a locomoção por promotores em ações promocionais.

Tem formatos pré-definidos, mas para médias e grandes quantidades pode ser feito um molde exclusivo para o projeto.

 

Bandeja de Degustação ou Bandeja Expositora

Excelente Material de Merchandising e apoio a ações promocionais, essas bandejas geralmente são confeccionadas através de vacuum forming em PSAI e podem ter compartimentos personalizáveis através de divisórias internas. Fixadas sobre os ombros dos promotores permitem que a ação seja móvel o que possibilita um Cross Merchandising dinâmico no Ponto de Venda.

Tradicionalmente as bandejas expositoras são brancas com as alças coloridas de acordo com a comunicação visual, mas existem demandas que exigem bandejas coloridas e estas mudanças estão vinculadas a lotes mínimos para fabricação devido a compra mínima de matéria prima.

Ponta de Gôndola

Localizadas em espaços nobres do Ponto de Venda, elas geralmente são projetos 100% especiais e construidas a partir do zero, dependendo do produto ela sera construida de maneira diferente, exemplos básicos para isso são as Pontas de Gôndola das industrias cafeeiras que geralmente são produzidas de madeira para que o ambiante fique aconchegante e possa se assemelhar ao local de consume que são as cafeterias, já quando produzimos uma Ponta de Gôndola para produtos de higiene e beleza estas geralmente são construidas em aço com suas comunicação feitas em material plástico, dando um ar clean e sofisticado onde o visual priorizando a limpeza deve prevalecer.

Topo de Gôndola

Nada mais é que uma testeira grande para identificação frontal aérea, elas podem ser fabricadas em papelão (para campanhas de custa duração) ou plástico, madeira e etc.

Também encontramos Topos de Gôndola com Back e Front Light, dando assim mais sofisticação ao Ponto de Venda. Muito usadas em Gôndolas mais sofisticadas com as do setor de cafés, mas o mais usual são para decoração nas Pontas de Gôndola que não permitem mudança de layout da gôndola em si, esta última deve-se ao fato de diversas lojas não permitam que seja alterada a gôndola da loja e neste caso as pontas de gôndola tradicionais podem acolher somente um Topo de Gôndola ou até mesmo carenagens plásticas completas, padronizando assim quase por completo a prateleira original do PDV, neste caso chamamos de Carenagem de Gôndola.

Coolers Promocionais

Coolers Isotérmicos são derivações de caixas térmicas em formatos arredondados onde remetem as latas de bebidas, eles podem ser utilizados para degustação de produtos que exijam manter sua temperatura baixa ou muitas empresas utilizam os Cooler como brindes para seus clientes pois levam suas marcas a momentos de lazer. Os modelos com capacidade para 7/12/24 latas quando utilizados como brindes levam as marcas exploradas a praias, piscinas, festas, etc, mas quando utilizados para trabalho em ações promocionais permitem o trânsito de uma degustação no Ponto de Venda, onde dá a possibilidade de ações com Cross Merchandising, seu fácil manuseio permite que o promotor carregue o cooler através de uma alça no ombro podendo ser utilizado também em ações de sampling.

O Grupo HSD desenvolveu a linha Anatômica nos formatos 12 e 24 latas de capacidade visando a utilização no trabalho, ações promocionais são desgastantes e seu formato moldado ao corpo permite maior conforto e rendimento do promotor.

 

Coolers Refrigerados

Criados para remeter o formato da embalagem do produto que está acomodando é utilizado para armazenagem do produto para conservação e consumo imediato, o formato mais tradicional é o de lata de energético ou refrigerante, embora ele também seja utilizado para armazenagem de sorvetes em alguns casos e açaí.

Devido a ser um mobiliário promocional de trabalho ele possui um motor como uma geladeira tradicional e geralmente é fabricado em 220volts e sua capacidade varia entre 75 e 120 latas de capacidade e internamente eles possuem duas cestas de arame que divide sua capacidade ao meio, isto se deve a dois fatores o primeiro é que se a carga superior acabar é somente reabastecer de produto (na temperatura ambiente) e inverter a posição das cestas, colocando a cesta de baixo com o produto já gelado para cima, outra função é evitar o FIFO (First In – First Out) ou seja se você sempre abastecer sem que suba o produto debaixo, ele irá ficará com seu prazo de validade vencido.

 

Cesto Expositor

Usualmente fabricado em arame, pode ter acabamento em pintura epóxi (eletrostática) ou cromado é muito utilizado como ilhas fixas para exposição de produtos pequenos e com alto giro, nos corredores geralmente acomodam queijo ralado, mas não se limita a esse produto somente, no departamento de FLV (Frutas, Legumes e Verduras) podem acondicionar frutas mais resistentes a fricção como laranjas, tomates, etc.

 

Displays Expositores

Display expositor é todo e qualquer dispositivo que acomode e demonstre um produto, independente do local de destino, basicamente temos três disposições de display:

Display de balcão, usado geralmente em checkouts e balcões de Pontos de Venda, estimulam o consumo por impulso nos checkouts, um exemplo é o grande número de displays de doces e balas nos caixas, outro modo muito usado para display de balcão são no canal farma nos produtos OTC (da sigla em inglês “Over the Counter” que significa sobre o balcão), no caso dos displays de balcão, eles podem ser confeccionados em madeira, plástico ou arame;

 

Display Carona, facilmente encontrado pendurado nas gôndolas de supermercado, o apelido carona dá-se ao fato de ele ficar apoiado nas prateleiras das gôndolas, ele é explorado para demonstrar produtos novos e que o consumidor tem que ter o contato visual aumentado e o mais usual é o uso no cross merchandising, onde se explora o consumo imediato correlacionado a outro produto, um exemplo básico é um display gravitacional com latas de leite condensado na gôndola dos achocolatados estimulando a compra casada para uma receita que utilize necessariamente os dois produtos ao mesmo tempo.

Nos dias atuais grandes empresas exploram o display carona pela falta de espaço solo e pela proximidade com o contato com o cliente, já que geralmente eles ficam a cerca de 1,6metro do solo, altura ideal para chamar a atenção do consumidor. Os mais usuais são os fabricados em arame e plástico;

 

Display de chão

Se bem criados e utilizados, podem ser verdadeiras gôndolas exclusivas, pois como são personalizados com as suas respectivas marcas eles fazem um excelente ponto de pega no PDV, utilizados para consumo imediato e exposição fixa, muito explorado pela indústria os displays possuem grande propriedade de exibição de produto e marca, basicamente os displays são fabricados em:

Displays de Papelão para lançamentos onde o display terá um prazo de exposição bem curto, ponto negativo é eles durarem pouco no PDV;

Displays de Madeira (refinados, geralmente fabricados em pequena ou média escala, são expositores de produtos pesados, com apelo sofisticado, vinhos por exemplo) ponto negativo é atualmente com a exploração e o apelo de materiais ecologicamente corretos a madeira é pouco utilizada no varejo, são pesados e dificilmente são desmontáveis dificultando o transporte;

Displays em Aço e Arame, por serem muito customizáveis no design, por combinarem prateleiras e gancheiras e por muitas vezes suportarem grandes quantidades de peso eles ainda são muito utilizados até hoje, um dos pontos negativo sé o sistema de pintura Epoxi não ser nenhum pouco ecológico e dificilmente seus projetos são desmontáveis o que dificulta um bom custo de frete e a expansão de grandes projetos.

Display Plástico (Vacuum Forming), os modelos produzidos em vacuum geralmente são projetos de média tiragem pois o custo relativamente baixo dos moldes propiciam criar projetos totalmente exclusivos, combinado com estruturas de aço podem suportar grandes quantidades de peso, seus principais pontos negativos são dificuldade de projetos desmontáveis e o custo de produção.

Displays Plástico (Injetados), os modelos são conhecidos por seu custo de produção ser baixo, serem totalmente desmontáveis e poderem ser 100% ecológicos e produzidos à partir de material reciclado de pós consumo (pós consumo para materiais reciclados quer dizer que antes do material ser reutilizado INJETADO” na produção do display, esta matéria prima estava no lixo, proporcionando uma limpeza natural na cadeia), pontos negativos praticamente não possuem, o único fator decisivo num novo projeto é que um molde geralmente custa na casa de US$50mil, fato que pode geralmente ser contornado pois temos diversos modelos e formatos à disposição no mercado e que dificilmente não se encaixam num novo projeto.

 

Biombo

 

Materiais de Merchandising

 

Adesivo de Chão

Podendo ser impresso em impressora digital (pequenas e médias tiragens), serigrafia (médias tiragens) e offser (altas tiragens), deve ser fabricado em vinil antiderrapante para evitar acidentes nos locais aplicados. No varejo as industrias utilizam geralmente nos corredores dos supermercados em frente as gôndolas estimulando o interesse no local.

Cavalete

É um material de merchandising muito tradicional, pode ser confeccionado em madeira com diversos tipos de acabamento onde quanto mais fino e refinado mais direciona a um produto premium, bares e botecos tradicionais utilizam com acabamento em tinta de lousa para poderem alterar seus cardápios conforme sua necessidade. Outra utilização muito tradicional é para campanhas politicas este confeccionado em materiais simples como a madeira Pinus. O setor de construção civil também possui tradição na utilização de cavaletes tanto os de madeira como os confeccionados em plástico.

 

Araras Expositoras

 

Banner / Galhardete / Cartazete

Banner Lona Impressão Digital

Banner Lona Impressão Serigráfica

Banner PEBD Impressão Serigráfica

Banner PEBD Impressão Offset

 

Blimp

 

Slatwall

Este material é vastamente visto em lojas de calçados pois são as prateleiras que são encaixadas nos painéis canaletados e servem de prateleiras para os calçados, geralmente em seu frontal possuem uma aba virada para baixo onde é impressa a logomarca da empresa expositora.

 

Régua de Gôndola

Como o próprio nome diz possui o formato de uma régua, pode ser produzida em papel e diversos materiais plásticos, o que será fator de decisão na matéria prima é o acabamento final da peça e sua duração no Ponto de Venda, já que as peças plásticas possuem uma vida útil infinitamente maior a do papel, para pequenas tiragens é indicada a impressão digital e com a evolução dos equipamentos de impressão hoje já possuímos equipamentos que imprimem diretamente no plástico, para médias tiragens a utilização da serigrafia é a mais indicada, pois a relação custo beneficio pode ser boa, mas se falarmos de grandes tiragens o processo de impressão deve ser o offset, já que a grande maioria das impressoras podem imprimir facilmente mais de 50mil peças numa única hora. Os formatos mais utilizáveis são 30cm x 4cm e 40cm x 4cm, isso se deve ao fato da maioria das gôndolas possuírem 120cm e portanto serem múltiplos, não que isso seja obrigatório e até porque formatos muito utilizados como o Tetra Pak possuem 7,5cm e 10cm que também fazem múltiplos aos formatos citados.

Faixa de Gôndola

A única diferença entre a régua e a faixa de gôndola é que na faixa ela necessariamente deve ter um formato em “L”, para sua fixação na gôndola geralmente são utilizados fitas dupla face, as medidas de largura que devem ser consideradas são as mesmas das réguas, mas o departamento de criação deve ficar atento a altura do frontal, pois ao mesmo tempo que se deve chamar atenção no Ponto de Venda , não pode tampar a embalagem do produto.

Cantoneira de Gôndola

Também produzida no formato “L” somente com uma dobra a mais pois o frontal deve acomodar uma régua de gôndola ou precificadores do próprio varejo, por esse motivo ela deve ser produzida em material transparente, geralmente este tipo de material é produzido para a marca institucional e seu propósito é demarcar lugar na gôndola e segurar lugar na possíveis rupturas de produto. As medidas utilizadas geralmente são 30cm x 5cm e 40cm x 5cm.

Wobbler ou Dangler

 

Stopper

 

Tira Strip

 

Móbile

 

Moldura de Gôndola

 

Organizador de Gôndola

 

 Trade Marketing – Gestão do Ponto-de-venda (i-PDV)

As empresas varejistas enfrentam diversas dificuldades no mercado. Para auxiliá-las a identificar e atender as necessidades dos seus mercados-alvo, assim como a se tornarem mais competitivas no mercado, a MDM BRASIL COMUNICAÇÃO auxilia os seus clientes na gestão do ponto-de-venda.
A metodologia da MDM BRASIL foi desenvolvida para ajudar a definir a melhor estratégia competitiva para o ponto-de-venda de forma integrada frente à linha de produtos, preços, disponibilidade de bens, comportamento de compra do consumidor, marcas, estoques, divulgação e outras variáveis que afetam os resultados do segmento varejista.
Visa-se, portanto, aumentar a rentabilidade e vendas das empresas, além de ajudar a fortalecer marcas e promover a fidelização de clientes.

Nossa prática de Gestão do Ponto-de-Venda (i-PDV) tem como foco os seguintes trabalhos:

* Análise do canal de venda;
* Análise do ponto-de-venda da concorrência;
* Análise do comportamento do consumidor no ponto-de-venda;
* Formulação do plano de divulgação, promoções e merchandising no ponto-de-venda;
* Formulação do plano de ação;

* Criação e desenvolvimento de materiais de merchandising para o Ponto-de-Venda;

CRONOGRAMA-METODOLOGIA-MDM-BRASIL
Contato
+55(11) 96360.7881
renato@pdvnews.com.br