Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

PDV News - Ponto de Venda com Ponto de Vista | 30 Sep, 2020

Scroll to top

Top

0

Agências derrotadas para a Rio-2016 minimizam possível plágio em logo e descartam recorrer - PDV News

Ouvidas pela Folha, elas elogiaram o processo de licitação feito pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro). Disseram que a seleção foi ‘transparente’ e ‘séria’.
Sobre o possível plágio da marca escolhida, desenvolvida pela agência carioca Tátil, as concorrentes avaliaram que é normal ocorrerem semelhanças e que raramente um projeto não remete a outro já existente.

‘É evidente que não foi plágio. Essa acusação é leviana. A Tátil é uma agência qualificada, com larga experiência no mercado. Utilizaram um formato universal, com pessoas de mão dadas’, afirmou Silvio Silva Junior, dono da Lúmen Design.
Sócio da Brainbox Design, Zeh Henrique Rodrigues explicou que, ao desenvolver uma marca, sua agência faz um longo trabalho de pesquisa para verificar se já existe alguma outra muito semelhante, mas que é impossível rastrear tudo.
‘Já ocorreu de termos que cancelar uma marca já definida e aprovada pelo cliente por termos descoberto uma outra com certa semelhança. Decidimos que era melhor não usá-la’, comentou.
Em nota, o COB informou ter feito, juntamente com o COI (Comitê Olímpico Internacional), uma ‘extensa busca mundial de marcas que tivessem elementos presentes na marca dos Jogos Rio 2016’. As marcas encontradas, segundo o COB, não apresentavam conflito com a logo da Rio-2016.
A licitação para a escolha da logomarca foi aberta em março, e 139 empresas se inscreveram. Na apresentação da documentação, 87 permaneceram no processo. Em agosto, oito agências foram qualificadas para a final.O COB teve que fazer uma segunda chamada logo depois, com os mesmos finalistas, por considerar que nenhuma das propostas atendia aos requisitos exigidos. Em setembro, a marca desenvolvida pela Tátil foi escolhida e submetida ao COI. O anúncio foi feito na noite de 31 de dezembro, na praia de Copacabana.


Fonte: Folha de SP

Comentar